22 junho, 2024 às 14:30 na Embaixada da Russia (Rua Visconde de Santarém 71, Lisboa) haverá 🙋 64ª Manifestação semanal

🙋 41ª Reunião semanal

13 janeiro, 2024 ⏱ 14:30
Embaixada da Russia, 📍 Rua Visconde de Santarém 69, Lisboa

A oposição na Rússia foi devorada e os apoiantes de Putin começaram a comer-se a si próprios. Entrevista com a esposa de um cidadão russo mobilizado: há esperança de uma epifania.

Está a ver as notícias da manifestação semanal em frente à embaixada russa em Lisboa. Hoje, 13 de janeiro, 14h30.

Os artistas que se julgavam seguros por não estarem na oposição, continuam a enfrentar cancelamentos de concertos e processos administrativos e criminais. Alguns artistas muito conhecidos que participarem na festa "Almost Naked" organizada pela uma blogger Anastasia Ivleeva, tais como Philip Kirkov, Lolita Milavskaya e o rapper Vacio foram alvos de repressão. Até o dono da discoteca onde se realizou a festa, não escapou às repressões. Nada os ajudou: nem as desculpas publicas, nem o facto de ter oferecido a um templo ortodoxo relíquias de São Nicolau o Milagroso.

Dejan Beric, um atirador sérvio e mandatorio de Putin para as próximas eleições, publicou um vídeo na sua página da rede social russa, Vkontakte. Ele afirma que o comando russo não forneceu quase nenhum equipamento aos mercenários sérvios e que, antes do Ano Novo, estes foram enviados para um assalto. Foi-lhes dito que podiam capturar as armas que necessitavam durante o combate. Quando se recusaram, foram espancados pela polícia militar.

No dia 11 de janeiro, o canal de Alexander Pluschev publicou uma entrevista com Paulina, a porta-voz do canal Telegram "Caminho para casa". Ela tem 20 anos, uma filha de um ano e meio e um marido mobilizado em outubro de 2022. Na altura, a filha tinha três meses e tinham esperança de que o marido não fosse para a guerra. Mas o marido, como bom cidadão cumpridor da lei, decidiu apresentar-se no centro de recrutamento militar. Segundo ela não foram considerados todos os documentos apresentados para o adiamento do marido e ele foi mobilizado.
www.youtube.com/watch?v=Qdp3bLLSkMs

Criada numa família religiosa, acreditava que todo o poder vinha de Deus e que, se Deus colocou alguém no poder, assim devia ser. Começou a lutar pelo regresso do marido quando se desfez o mito de que os mobilizados não estariam na linha da frente e regressariam no prazo de seis meses. Ela afirma: "Aqueles que querem lutar - mandem para lá os vossos filhos e os mercenários, mas não usem pessoas civis".

Segundo ela, a maioria das esposas dos mobilizados são contra a guerra. Mas ela escolhe a via do diálogo com as autoridades porque tem uma filha pequena. E também porque uma rapariga da sua idade que gritou "não à guerra" no ano passado está agora na prisão.

Paulina ainda acredita na existência de tribunais e de uma imprensa independente na Rússia, e que estes poderão negociar com o Estado. Já enfrentou a proibição de manifestações e a falta de atenção dos canais de televisão centrais. Há muitas outras descobertas à sua frente.

Condenamos todos aqueles que apoiam e participam na guerra de conquista da Rússia na Ucrânia. Ao mesmo tempo, quanto mais pessoas se aperceberem de que o governo de Putin lhes está a mentir, incluindo através dos supostamente independentes canais na Internet, mais rapidamente este governo cairá.

No dia 21 de janeiro, às 14 horas, terá lugar em Lisboa, na Praça dos Restauradores e às 13 horas, em Porto, na Praça da Batalha, uma grande manifestação "Rússia sem Putin e sem Putinismo". Esta manifestação faz parte de uma grande campanha contra Putin, que visa o objetivo comum da oposição russa.

Venham à manifestação! Vamos tentar juntos aproximar o dia em que não haverá mais Putin!

Ligação na descrição.
www.facebook.com/events/3765824253675650
< 🙋 40ª Reunião semanal 🙋 42ª Reunião semanal >